sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Com dois títulos mundiais, Iarley dá adeus aos gramados

Os primeiros fios brancos de uma barba por fazer indicam um passado cheio de histórias para Pedro Iarley Lima Dantas, ou apenas Iarley, agora um ex-jogador de futebol. São lembranças que remetem ao jovem que, mesmo à revelia, entregou o boletim de conclusão do ginasial à mãe com uma mochila nas costas, saindo ainda adolescente de Quixeramobim, cidade a 200km de Fortaleza, com o intuito de abraçar o mundo. E conseguir. Duas vezes. Sempre com muita disposição para enfrentar as adversidades - não foram poucas -, superá-las e ajudar outros a fazer o mesmo. Ajudar sempre foi um verbo presente em sua vida. Desde quando atuava pelo Ceará, clube do coração, e ia à noite tirar companheiros de time, insatisfeitos com salários atrasados, da balada para levá-los de volta à concentração. Abrindo mão, inclusive, dos próprios vencimentos. Ajudou a colocar o Paysandu no mapa do futebol internacional.

O golaço contra o Boca Juniors na Bombonera atiçou o interesse dos xeneizes. Depois de uma frustrada experiência no Real Madrid anos antes, Iarleyfoi se aventurar além das fronteiras novamente. Desta vez, para, com a camisa de Maradona, conquistar o mundo e manter a aura de multicampeão do clube argentino.
O espírito colaborativo de Iarley foi convocado novamente no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre. Ao chegar à capital gaúcha, em 2005, o jogador ouvia o clamor de torcedores sofridos, ávidos por uma Libertadores. Tudo para fazer frente ao maior rival. Iarley foi e ajudou. No Inter, viveu o apogeu, ajudou a reconstruir um clube. Às margens do Guaíba, viu terra arrasada se transformar em Eldorado. Com um passe perfeito, ajudou o contestado Gabiru a conhecer a glória, conquistando o mundo pela segunda vez.

Após quase 20 anos como profissional, Iarley encerrou sua trajetória. A mochila voltou ao Ceará carregada de títulos e histórias. Hoje, ele mostra a disposição que nunca faltou para os treinamentos atuando como sócio de uma empresa que fabrica panelas de alumínio na mesma capital cearense onde surgiu para o futebol.

 Globoesporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário